Saiba quando e como fazer a inscrição para o ProUni 2023

O ProUni, Programa Universidade Para Todos, permite que essas de baixa renda possam acessar o ensino superior em instituições particulares de todo o país, com bolsas de 50% e 100%. A concorrência é de acordo com as vagas e notas de cortes disponibilizados por cada instituição. O público-alvo e principal do programa é o estudante sem diploma de nível superior, e a inscrição será feita exclusivamente pela internet, na página do ProUni, entre os dias 28 e fevereiro e 03 de março.

Para se inscrever no ProUni 2023, o candidato deve ter participado dos dois dias de provas do Enem de 2021 e 2022, obtido nota mínima de 450 pontos, e não ter zerado na redação, assim como não pode ter participado como treineiro. Veja abaixo o cronograma para inscrição e demais datas do ProUni em 2023 para o primeiro semestre.

Cronograma do ProUni 2023

  • Inscrições – de 28 de fevereiro a 03 de março;
  • Resultado da 1ª chamada – 07 de março;
  • Comprovação das informações da 1ª chamada – de 07 a 16 de março;
  • Resultado da 2ª chamada – 21 de março;
  • Comprovação das informações da 2ª chamada – de 21 a 30 de março;
  • Prazo para participar da Lista de Espera – 05 a 06 e abril;
  • Divulgação da Lista de Espera – 10 a 19 de abril;
  • Comprovação das informações da Lista de Espera – 10 a 19 de abril.

Critérios para se inscrever no ProUni 2023

Além da participação no Enem do ano anterior, outros critérios são exigidos para o candidato participar do ProUni, tais como:

  • O candidato deve ter cursado o ensino médio integralmente em escola da rede pública, ou o ensino médio parcialmente/integralmente em instituição privada, na condição de bolsista da respectiva instituição;
  • Seja pessoa com deficiência, na forma prevista na legislação; e
  • Seja professor da rede pública de ensino, exclusivamente para os cursos de licenciatura e pedagogia, destinados à formação do magistério da educação básica. Neste caso não é aplicado o limite de renda exigido aos demais candidatos.

O candidato que for selecionado deve comprovar as informações passadas no ato da inscrição na vaga, como a renda familiar, por exemplo. A renda familiar bruta mensal, por pessoa, de até 1,5 salário-mínimo, para obter a bolsa integral, que cobre a totalidade do valor da mensalidade do curso. Já para a bolsa parcial, que cobre (50%) do valor da mensalidade, a renda mensal per capita exigida é de até 3 salários-mínimos.

Postagem Original
Autor: Márcia Rabelo

Deixe seu Comentário